Conectar-se

Esqueci minha senha



O DIABO – QUEM OU O QUE É ISTO?

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[Assuntos diversos] O DIABO – QUEM OU O QUE É ISTO?

Mensagem por Gleison Elias em 22.12.11 11:19


PARTE 2


QUEM É O SATAN DO LIVRO DE JÓ?



A autoria do livro de Jó é incerta. Alguns eruditos atribuem o
livro a Moisés. Outros atribuem a um dos antigos sábios, cujos
escritos podem ser encontrados em Provérbios ou Eclesiastes.
Talvez o próprio Salomão tenha sido seu autor. O livro de Jó tem
sido chamado de “poema dramático de uma história épica” (J.
Sidlow Baxter).
Os procedimentos, os costumes e o estilo de vida geral do livro
são do período patriarcal (cerca de 2000 a 1800 a. C). A própria
escritura atesta que Jó foi uma pessoa real. Ele é citado em
Ezequiel 14:14 e Tiago 5:11. [1]
A localização exata de Uz não pode ser claramente verificada,
nem é tanto crucial para a compreensão do livro. Jó 1:3 declara
que Ele foi o maior de todos os do oriente. Para os israelitas,
tudo o que havia do outro lado do Jordão era “oriente”, portanto
incorporando uma grande extensão de terra.
Genesis 10:23 associa Uz com Arã, pai dos sírios e Genesis 22:21
com Naor, irmão de Abraão, que acabou por se instalar m torno de
Harã, ao norte da mesopotâmia (Gn 24:10 com Gn 27:43). Sem
(filho de Noé) teve 5 filhos, que deram origem a 5 grandes raças
e a numerosas tribos. Arã, um dos filhos de Sem povoou a Síria e
teve 4 filhos. [2]
Uz, um dos filhos de Arã morou no meio da Arábia setentrional e
Jó foi um de seus descendentes. Jó conhecia Deus pelo nome de
SHADDAI – O TODO-PODEROSO. Há 30 referências a Shaddai no livro
de Jó.
Estes fatos mostram que os conhecimentos históricos do princípio
da raça humana foram comunicados as gerações posteriores e isto
pode mostrar o porquê de Jó ter o costume de oferecer
holocaustos pelos pecados dos filhos. A prosperidade de Jó
despertou o rancor do “adversário” que estava participando da
reunião dos filhos de Deus, que se reuniam para o culto. Devido
às constantes repetições de banquetes realizados pelos filhos de
Jó, este “os santificava, e se levantava de madrugada, e
oferecia holocaustos {segundo} o número de todos eles; porque
dizia Jó: {Porventura} pecaram meus filhos, e blasfemaram de
Deus no seu coração. Assim o fazia Jó continuamente. (Jó 1:5).

A pergunta de Deus ao adversário: “Donde Vens?” é um tipo de
saudação interessante. Ela é utilizada por Eliseu a Geazi, após
este ter adquirido dolosamente presentes de Naamã. (2 Reis
5:25), pelos marinheiros supersticiosos a Jonas (Jonas 1:8) e
por Josué aos Gibeonitas que o enganaram com sua astúcia (Josué
9:8).
O que “o satan” está fazendo aqui? Ele obviamente está à procura
de problemas e não foi visto por algum tempo. Provavelmente por
ser um dos filhos de Deus, conhecia a rotina de todos os outros
e sua resposta à pergunta de Deus é irreverente, mas
inteligente. Portanto, ele usa uma terminologia que é
normalmente aplicada a Deus (2 Cronicas 16:9; Zacarias 1:10,11;
4:10 e 6:7). O SENHOR no texto é o representante de Deus na
terra, possivelmente um sacerdote, que falava e agia em nome de
Deus.
Depois desta pequena introdução, apresentarei a seguir algumas
evidências a fim de considerar que o satan do livro de Jó não
foi um “anjo rebelde”, pelas seguintes razões:
1 - A palavra SATANÁS (precedida ou não pelo artigo) significa
ADVERSÁRIO, OPOSITOR, podendo se referir a homens, a sistemas
iníquos de governos, a anjos de Deus em obras de oposição e até
ao próprio Deus. Hasatan aqui atua como um promotor público em
uma determinada ocasião (como em Zac. 3:1) e além do mais este
adversário está longe de ser o antagonista de Deus e chefe de um
reino rival, porque é seu subordinado e só pode agir em
conformidade com as ordens de Deus. (Jó 1:12; 2:6).
Existem as traduções tendenciosas que grafam com letra maiúscula
determinadas palavras, para que os leitores entendam se tratar
de uma pessoa. (ex.: Verbo, Espírito Santo, Anjo do SENHOR).
No caso da palavra - Satanás - ocorre este mesmo problema e tudo
isto deve ser levado em conta para uma correta compreensão das
passagens. Todas as vezes que o estudante da bíblia fizer a
leitura da palavra – Satan – com a inicial maiúscula, deve
entender que esta palavra foi grafada assim por convenção do
tradutor e deixada, portanto sem tradução. A meu ver, isto foi
feito de forma tendenciosa.
APLICAÇÕES DO VOCÁBULO “SATAN” NA BÍBLIA:
Referindo-se a homens: João 6:70, 71 / Mateus 16:23 / Ester 7:4
e 8:1;
Referindo-se a anjos de Deus: Números 22:22 e 32 / 1 Crônicas
21:16;
Referindo-se a sistemas de governos: Apocalipse 2:10 e 13 / 1
Pedro 5:8;
Referindo-se ao próprio Deus: 2 Sm 24:1 com 1 Cr. 21:1.


Assim quando lemos em Jó e Zacarias 3 sobre HaSatan (o
adversário), não estamos fazendo a leitura de uma pessoa
específica, cujo nome pessoal seja "satanás". Nós estamos lendo
sobre uma pessoa que "funcionava" como um adversário (um satã).

Aqui a palavra descreve um titulo, não um nome próprio. Em
outras palavras, o satã do livro de Jó descreve uma pessoa (não
um anjo caído) que se tornou um adversário de Jó. Note por
exemplo como o HOMEM Hamã é chamado de O SATAN em Ester 8:1.

2 - Jó tem 42 capítulos e o satan de Jó aparece apenas nos 2
(dois) primeiros capítulos, uma grande evidência a se PESAR, a
fim de defender esta teoria de que este seja um anjo rebelado
contra Deus. E também em nenhum lugar do livro sugere a idéia de
que seja um anjo caído.

3 - Como pode satanás estar lá no céu (se ele foi expulso de lá
no Genesis) e também junto com Jó na terra (se ele foi expulso
em 1914 d. C, como afirmam as TJ)? Por acaso Deus permitiria o
acesso do seu maior inimigo ante sua presença, fazendo o que bem
entendesse, seria esta a posição de Deus?
4 - Pela leitura atenta de Jó percebe-se que este adversário
nutria um ódio incomum contra ele, e pediu permissão a Deus,
para que Deus tocasse em Jó, porque este adversário o acusava de
que Deus o havia cercado de bens e abençoado tudo na vida dele (Jó
1:9,10). Este "satanás" saiu da presença do SENHOR em duas
ocasiões (1:12; 2:7) e se ele fosse o tentador sobrenatural da
visão tradicional, dificilmente se qualificaria sob os termos de
Hebreus 1:14, e conforme 2 Pedro 2:11 também nos diz - “Os
anjos, sendo maiores em força e poder, não pronunciam contra
eles juízo blasfemo diante do Senhor”.
5 - O próprio adversário pede a Deus, para que Deus "toque" em
tudo o que Jó tem, não ELE PRÓPRIO (O adversário) com seu
suposto poder maléfico (Jó 1:11,12).
Alguns poderiam objetar que em Jó 2:7 afirma que “satanás foi
quem feriu a Jó de uma chaga maligna, desde a planta do pé até o
alto da cabeça”. A objeção é válida, porém atente para o
seguinte:
5.1 – Em todo o livro de Jó, demonstramos que o “mal” que lhe
foi enviado, o foi por Deus e não por um suposto “anjo mal”.
Estes são alguns versos, porém convido o leitor a esquadrinhar o
livro por inteiro e encontrará muitas referências adicionais;
Veja:
> O próprio Jó afirma que Deus lhe enviou o mal: Jó 1:21; 2:10 ;
6:4, 10: 2,10; 19:21, 27:2;
> O servo de Jó (Jó 1:16), a esposa de Jó (Jó 2:9), os três
amigos de Jó (Jó 5:17; 8:4, 11 :5-6) e os conhecidos e irmãos de
Jó (Jó 42:11). Todos estes consideraram que Deus foi quem lhe
enviou o mal. Deus não trabalha em conjunto com o satanás.
5.2 – O texto não diz que foi satanás que o feriu. A evidência
contextual de todo o livro e do capítulo, direciona para o
entendimento de que a ferida foi causada pelo próprio Deus,
porque um ser humano (e este é o caso aqui) independentemente
não tem o poder de causar moléstias a outro ser humano:
Ex: Jó 19:21 (a mão de Deus me feriu – em outra versão), Jó 27:2
e Jó 30:11.
6 - Do verso 13 até o verso 21 de Jó 1, percebe-se pela leitura
atenta do texto, quem foram os agentes das aflições causadas a
Jó e sua família e não há insinuações de um ANJO MAL: VER TABELA
ABAIXO:

*Os sabeus (não o satan sobrenatural) (v. 15);

*Fogo de Deus (não do satan sobrenatural) caiu do céu e queimou
as ovelhas e os servos (v. 16); Da mesma forma, aqui nos é
mostrado que o fogo veio de Deus.

*Os caldeus com 3 tropas (não o satan sobrenatural) guerrearam
contra os servos de Jó (v. 17);

*Um grande vento ( quem manda nos ventos - satan???) sobreveio
dalém do deserto e fez com que a casa caísse ( v. 19); Somente a
casa de Jó caiu, isto mostra que o vento veio por ordem de Deus.
O próprio Jó afirma que quem lhe enviou aquele mal foi o Senhor.

E disse: Nu saí do ventre de minha mãe e nu tornarei para lá; o
SENHOR o deu, e o SENHOR o tomou: bendito seja o nome do SENHOR.
(Jó 1:21).

Jó diz - O Senhor o deu, o Senhor tomou ( não diz O SENHOR DEU E
SATANÁS TOMOU). E em tudo isto ele não cometeu pecado por fazer
esta afirmação.
Podemos observar uma simetria interessante nestas tragédias
feitas a Jó e não se vê a figura de um anjo do mal nelas, apenas
DEUS E HOMENS:


Uma coisa importante a ser destacada é que o texto não nos
informa quem era esta pessoa que aterrorizou Jó, porém seu
título mostra que Ele era contrário aos interesses de Jó.
Certamente não era o “satanás” da crença popular, pois Ele não
veio do inferno para participar da assembléia dos filhos de
Deus, mas veio de “rodear a terra e passear por ela”. Ele não
era o diabo da crença popular, porque estava de olho nas
propriedades de Jó e sua inveja era tal que queria até destruir
o corpo de Jó.
Mas você diria: E sobre as calamidades e as moléstias causadas a
Jó? Estaria em poder do homem mortal o controle destas?
A resposta é: Estas eram feitos de Deus e não do adversário.
Veja Jó 2:3,5 - E disse o SENHOR a Satanás: Observaste o meu
servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem
íntegro e reto, temente a Deus e que se desvia do mal, e que
ainda retém a sua sinceridade, havendo-me tu incitado contra
ele, para o consumir sem causa.
Este é o entendimento de todo o processo no caso de Jó. E mesmo
se o adversário tivesse o poder de afetar Jó, isto não provaria
que os milagres fossem feitos por agentes sobrenaturais mais do
que aqueles que foram realizados pelo homem Moisés (Exodo 4).
Deus pode delegar poderes milagrosos para o homem mortal. [3].


ONDE SE DEU ESTE DIÁLOGO – NO CÉU OU NA TERRA?
O argumento comum é que este diálogo se deu lá no céu porque os
"filhos de Deus", entendidos neste texto como sendo os "anjos"
vieram apresentar-se perante o SENHOR e Satanás (sendo um anjo
rebelde) veio entre Eles e depois “saiu da presença do SENHOR” (Jó
1:6; 2:7).
1 – A expressão “Filhos de Deus” é utilizada na bíblia na
maioria das vezes, para identificar seres humanos, não anjos.
Talvez tenham obtido este argumento da passagem de Jó 38:7, que
abordaremos mais adiante, mostrando que a mesma não trata de
“anjos”. Satanás jamais foi considerado um “filho de Deus”.
Alguns exemplos da expressão “filhos de Deus” referindo-se a
humanos:
João 1:12 - Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder
de serem feitos filhos de Deus; aos que crêem no seu nome.
1 João 3:1 - VEDE quão grande caridade nos tem concedido o Pai:
que fôssemos chamados filhos de Deus. Por isso o mundo nos não
conhece; porque o não conhece a ele.
Gálatas 3:26 - Porque todos sois filhos de Deus pela fé em
Cristo Jesus.
Mateus 5:9 - Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão
chamados filhos de Deus;
2 - Apresentar-se perante o SENHOR se refere invariavelmente aos
homens e não aos anjos, nem a qualquer outro tipo de ser, porque
os anjos estão sempre na presença de Deus e de lá são enviados.


Mateus 18:10 – Vede, não desprezeis algum destes pequeninos,
porque eu vos digo que os seus anjos nos céus sempre vêem a face
de meu Pai que {está} nos céus.

Hebreus 1:14 - Não são porventura todos eles espíritos
ministradores, enviados para servir a favor daqueles que hão de
herdar a salvação?

2.1 - Anjos não trazem acusação infamatória contra os crentes
diante do SENHOR.

2 Pe. 2:11 - Enquanto os anjos, sendo maiores em força e poder
não pronunciam contra eles juízo blasfemo diante do Senhor.

APRESENTANDO- SE PERANTE O SENHOR

Quando os homens se apresentavam, eles o faziam diante de
representantes credenciados do SENHOR na terra (por exemplo, os
juízes e os sacerdotes) e assim era dito como “se apresentando
perante o Senhor”. Não significa portanto que esta
“apresentação” tenha sido no céu, na presença imediata de Deus.
Veja estes exemplos:

2 Crônicas 19:6 - E disse aos juízes: Vede o que fazeis; porque
não julgais da parte do homem, senão da parte do Senhor, e ele
{está} convosco no negócio do juízo.

Deut. 19:17 - Então aqueles dois homens, que tiverem a demanda,
se apresentarão perante o Senhor, diante dos sacerdotes e dos
juízes que houver naqueles dias.

Lucas 2:22 - E, cumprindo-se os dias da purificação, segundo a
lei de Moisés, o levaram (Jesus) a Jerusalém, para o
apresentarem ao Senhor.

1 Sm. 23:18 - E ambos fizeram aliança perante o Senhor: Davi
ficou no bosque, e Jônatas voltou para a sua casa.

Deut. 31:11 - Quando todo o Israel vier a comparecer perante o
Senhor teu Deus, no lugar que ele escolher, lerás esta lei
diante de todo o Israel aos seus ouvidos.

Deut. 18:7 - E servir no nome do Senhor seu Deus, como também
todos os seus irmãos, os levitas, que assistem ali perante o
Senhor;

SAIR DA PRESENÇA DO SENHOR
Somente porque o “satan” saiu da presença do Senhor, não
significa que este teria tido acesso ao céu, onde Deus habita. O
texto também informa que o satan “rodeava a terra e passeava por
ela” (Jó 1:7), um modo não usual de locomoção para um suposto
anjo rebelde. Além disso, encontramos em Zacarias 1:10,11
referências a seres (provavelmente anjos) que “andam pela
terra”, mas para a observarem. Não existe a conotação no texto
de que sejam para “acusarem nenhum ser humano”. Veja estes
exemplos:
Genesis 4:16 - E saiu Caim de diante da face do Senhor, e
habitou na terra de Node, da banda do oriente do Éden.
Jonas 1:3 - E Jonas se levantou para fugir de diante da face do
Senhor para Tarsis; e, descendo a Jope, achou que um navio ia
para Tarsis; pagou pois, a sua passagem, e desceu para dentro
dele, para ir com eles para Tarsis, de diante da face do Senhor.

Veja estes versos que mostram quem causou o mal a Jó

Jó 1:11 - Mas estende a tua mão, e toca-lhe em tudo quanto tem,
e verás se não blasfema contra ti na tua face.

Jó 1:21 - E disse: Nu saí do ventre de minha mãe e nu tornarei
para lá; o SENHOR o deu, e o SENHOR o tomou: bendito seja o nome
do SENHOR.

Jó 2:5 - Porém estende a tua mão, e toca-lhe nos ossos, e na
carne, e verás se não blasfema contra ti na tua face!
Jó 2:10 - Porém ele lhe disse: Como fala qualquer doida, falas
tu; receberemos o bem de Deus, e não receberíamos o mal? Em tudo
isto não pecou Jó com os seus lábios.

Jó 8:4 - Se teus filhos pecaram contra ele, também ele os lançou
na mão da sua transgressão.

Jó 19:21 - Compadecei-vos de mim, amigos meus, compadecei-vos de
mim, porque a mão de Deus me tocou.
Jó 27:2 - Vive Deus, que desviou a minha causa, e o
Todo-poderoso, que amargurou a minha alma.
Jó 30:11 - Porque {Deus} desatou a sua corda, e me oprimiu: pelo
que sacudiram {de si} o freio perante o meu rosto.

Jó 42: 11 - Então vieram a ele todos os seus irmãos, e todas as
suas irmãs, e todos quantos dantes o conheceram, e comeram com
ele pão em sua casa, e se condoeram dele, e o consolaram acerca
de todo o mal que o SENHOR lhe havia enviado; e cada um deles
lhe deu uma peça de dinheiro, e um pendente de ouro.
Quem então é o “adversário” de Jó?
Temos observado ao longo do livro de Jó, que o mesmo não
apresenta este “satan” como um anjo rebelde, com acesso ao céu,
mas como um humano que se apresentou no meio da reunião em que
estavam os filhos de Deus, que também são homens.
É mais rentável para aprender a grande lição do livro,
reconhecer que o Senhor do Céu e da Terra só pode fazer o que é
certo e bom.

Veja que em todo o livro, o mal não foi "permitido por Deus"
para que satanás (como anjo rebelde) o afligisse, mas foi o
próprio Senhor que o enviou aquele mal. O “satan” no livro
aparece apenas nos dois primeiros capítulos como um promotor, a
fim de acusar Jó diante de Deus. A idéia popular alega que Jó
sofreu porque satanás o afligiu, por permissão de Deus. Para os
amigos de Jó, no entanto, era Deus que estava trazendo tanta
aflição na vida de Jó, porque Jó era considerado por Eles como
um pecador (Jó 42:11).
SERIAM OS ANJOS, OS FILHOS DE DEUS EM Jó 38:7?
Jó 38 começa com a reprovação de Javé, porque Jó havia
questionado a onisciência de Deus e faz referência aos 4
primeiros dias da criação, principalmente da luz, das águas, das
estrelas e das nuvens, nos versos 4 ao 18 e de Jó 38:19 até os
capítulos 39,40 e 41 lidam com o 5º e o 6º dias, por olhar as
maravilhas do reino animal.
Que o termo "filhos de Deus" em Jó 38:7 é uma referência aos
corpos celestes e não aos anjos, pode ser confirmado
comparando-os aos versos 31 a 33 do mesmo capítulo, onde se faz
referências às estrelas e à disposição dos astros e sua
influência sobre a terra. Veja Gênesis 1:16-18 com Salmos 136:
7-9 e Jeremias 31:35.
31 - Ou poderás tu atar as cadeias do Sete-estrelo ou soltar os
laços do Órion?
32 - Ou fazer aparecer as constelações ou guiar a Ursa com seus
filhos?
33 - Sabes tu as ordenanças dos céus, podes estabelecer a sua
influência sobre a terra?
Este termo “filhos de Deus” pode ser visto também observando a
linguagem utilizada sobre "nascimento" nos próximos dois versos.
(Jó 38: 8 e 9).
Verso 8 - Ou {quem} encerrou o mar com portas, quando trasbordou
{e} saiu da madre;
Verso 9 - Quando eu pus as nuvens por sua vestidura, e a
escuridão por envolvedouro?
Criação como um Nascimento
Embora a criação em nenhum outro lugar seja chamada de Filho de
Deus, há duas passagens que desenham estreitas ligações com
estas escrituras.
A criação de Deus é colocada em termos de “nascimento” (Prov.
8:23-29 e Salmos 90:1,2) e portanto, as coisas criadas são seus
filhos. É o símbolo mais adequado do rompimento da água na
criação como descrevendo o nascimento do mundo, como acontece
durante o parto natural. O "envolvedouro" é também um termo de
nascimento onde as faixas (o cobertor) são reservadas para
envolver o recém-nascido. Ao comparar a antiga criação de Deus,
nascida há muito tempo com o nascimento recente de Jó (Jó 38:
21), o argumento de Jó soa inadequado. Veja Ezequiel 16:4.
A implicação de que a chuva é filho de Deus também é usada em Jó
38:28,29:
A chuva {porventura} tem pai? Ou quem gera as gotas do orvalho?
De que ventre procede o gelo? E quem gera a geada do céu?
Isto é simplesmente parte da linguagem poética do Senhor que dá
à sua criação uma personalidade onde até mesmo o relâmpago pode
falar "(Jó 38:35). As obras inanimadas de suas mãos podem
dar-lhe elogios, cantar e falar como se fossem pessoas. (Isaías
44:23; 49:13; 35:1,2; Salmos 19:1-6). Assim se dá com relação às
estrelas da alva, que alegremente “cantavam”. Esta mesma
linguagem é apropriada no NT e aplicada para a “nova criação” em
Romanos 8:19-23.
Em Provérbios, A sabedoria é personificada como uma mulher que
esteve com o Senhor, desde antes da criação dos céus e da terra.
A linguagem utilizada em Provérbios 8:23-29 carrega muitas
semelhanças surpreendentes com Jó 38, ela fala sobre a fundação
da terra, das águas e as nuvens. O tema do nascimento é também
repetido no versículo 23-24,
Antes de haver abismos, fui gerada, e antes ainda de haver
fontes carregadas de águas. Antes que os montes fossem firmados,
antes dos outeiros, eu fui gerada. Em outras versões diz: Eu
nascí.....
O ponto a ser notado aqui é que à "sabedoria" é dada a
simbologia como tendo nascido como uma criança. Esta linguagem
continua no versículo 30.
Pv. 8:30 - Então {eu} estava com ele e era seu aluno: e era cada
dia as {suas} delícias, folgando (rejubilando) perante ele em
todo o tempo;
É interessante notar que a palavra "folgando" é mencionada aqui
como foi em Jó 38:4, quando os "filhos de Deus (folgavam)
rejubilavam de alegria". Se a criação da sabedoria é falada como
tendo nascido antes da formação da Terra, então não é
surpreendente ver a mesma linguagem usada em outros aspectos da
criação de Deus. A mesma palavra “gerada” é traduzida como
"formada" no Salmo 90:2, mas neste, em referência à terra.
(Salmos 90:1-2) - SENHOR, tu tens sido o nosso refúgio, de
geração em geração. Antes que os montes nascessem, ou que tu
formasses a terra e o mundo, sim, de eternidade a eternidade, tu
{és} Deus.
Este é um versículo chave que usa os termos nascimento,
formação, em referência à criação de Deus. Curiosamente ele é
usado para dar ênfase à mesma coisa em Jó.

Que o termo "filhos de Deus" se refere a homens escolhidos é
indiscutível. Este é o seu uso exclusivo no Novo Testamento. O
Antigo Testamento usa esta linguagem de nascimento para os
israelitas (Dt 32:18-19). Isaías vai mais longe ao associar as
maravilhas da criação, com a criação do seu povo escolhido.
(Isaías 44:24) "Assim diz o SENHOR, teu redentor, e que te
formou desde o ventre:Eu sou o Senhor que faço todas as coisas,
que estendo os céus por si só, que espraio a terra por mim
mesmo;"

(Isaías 45:11-12) Assim diz o Senhor, o Santo de Israel, aquele
que o formou: Perguntai-me as cousas futuras; demandai-me acerca
de meus filhos, e acerca da obra das minhas mãos. Eu fiz a
terra, e criei nela o homem; eu o {fiz}; as minhas mãos
estenderam os céus, e a todos os seus exércitos dei as minhas
ordens.
(Is 46:3) Ouvi-me, ó casa de Jacó, e todo o resíduo da casa de
Israel; vós a quem trouxe {nos braços} desde o ventre, {e} levei
desde a madre.
Portanto, os Filhos de Deus em Jó 38:7 não se refere aos anjos
celestiais, mas se referem à criação de Deus, às estrelas que
cantavam e rejubilavam, utilizadas neste texto em uma forma
poética.
Quando as estrelas da alva juntas alegremente cantavam, e todos
os filhos de Deus rejubilavam?

MARCELO ALEXANDRE DO VALLE

E-MAIL - marceloalexandrevalle@yahoo.com.br /
jkdvalle36@hotmail.com

[1] Nota de Rodapé sobre Jó 1 – Biblia de Estudo Plenitude,
versão ARC 1995
[2] David Baird, A educação de Jó – capítulos 1 e 2
[3] Robert Roberts –The Evil One
avatar
Gleison Elias

Mensageiro
Mensageiro

Reps : 11
"Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará"

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Print
Seus favoritos não foram carregados :(